Lucas Personi inova e lança startup especializada em registro de marcas

O Empresário Bauruense Lucas Personi,  lançou recentemente sua nova Startup, uma das pioneiras no Brasil em registro de marcas. Nomeada como Workato, a empresa traz como base a inovação e a expansão da ideia de que registrar marcas é extremamente importante para qualquer negócio. 

“Já passei pela situação de perder uma marca por falta de registro e isso me fez ter a ideia de criar uma empresa especializada nesse segmento, algo que ainda é raro aqui no país”, explica Lucas Personi. 

Experiência no mundo dos negócios

Sócio consultor da 3WConsulting, Lucas Personi é empreendedor desde os 18 anos, quando criou uma marca com sua amiga Mariuzza. O negócio ia muito bem até que, um ano depois, descobriram que essa mesma marca tinha sido registrada por outra pessoa. 

Essa perda levou Lucas Personi a entender como é necessário que as empresas entendam o valor  e a importância da proteção de suas marcas. 

Com a larga experiência na área do empreendedorismo e com a vivência de ter perdido um negócio por falta de informação, Lucas Personi criou a Workato, que hoje já vem ganhando clientes pelo país inteiro. 

Atuação em Bauru com diversas marcas

A Workato tem se tornado cada vez mais conhecida na região de Bauru. Hoje, conta com clientes importantes, como:  Dona Thereza Empório e Bistrô, Conexão Política, Planeta Economia, do Economista Reinaldo Cafeo, Cozinha da Liliana, Share Offices Coworking, NAIC Instituto do Câncer, Do Fundo do Bauru, Bauru Fashion Week, Serotini Contabilidade,  Trato Banho e Tosa, dentre outros.

 “Recebo ligações de empresários que tiveram suas marcas registradas por terceiros, pedindo ajuda para não perderem o nome e os investimentos que fizeram”, conta Lucas. 

Informação para evitar problemas

Segundo Lucas Personi, a falta de informação é um dos grandes causadores de problemas quando falamos em registro de marcas. O mais comum é que os donos de negócios acreditem que o registro na junta comercial seja o suficiente para que a marca esteja protegida. 

Mas não é bem assim. Todo o registro é realizado no Instituto Nacional de Propriedade Industrial, vinculado ao Ministério da Economia, algo que vai além da abertura do negócio em si e que requer uma consultoria especializada. 

E a necessidade do registro de marcas não é algo exclusivo das grandes empresas. “Mesmo pequenos negócios podem perder tudo que investiram simplesmente porque deixaram de tomar esse cuidado tão importante.”, explica. 

Um famoso exemplo de problemas em relação ao registro de marcas é o impasse entre a Apple e a Gradiente. Por não provar o uso da marca registrada, a Gradiente perdeu o direito de utilizar o nome Iphone,, que hoje é um dos mais conhecidos do mundo e o responsável pela popularização dos Smartphones – o direito de utilizar o nome Iphone, então, passou a ser exclusivo da Apple. Esse exemplo nos prova que mesmo as gigantes podem perder investimentos devido à falta de cuidado nesse sentido. “Imagina o que pode acontecer com uma empresa pequena?”, alerta Lucas.

As Leis do Brasil em relação ao registro de marcas

Aqui no país, a lei é clara: o primeiro que registra uma marca detém o direito de uso dela, tanto quanto em relação ao nome como ao símbolo. Mas é preciso comprovar esse uso e renovar o registro a cada dez anos. 

“Registrar uma marca é como comprar uma licença de um canal de televisão. É preciso renovar e comprovar o uso”, explica Lucas Personi. 

Por isso, não adianta registrar a marca e não fazer a devida manutenção desse registro. “A Workato entra em todo esse processo, desde o registro em si até a renovação e manutenção dele.”, afirma o empresário. 

A Workato

“A WORKATO nasceu grande. Temos um escritório em Bauru e em São Paulo, para receber empresas e investidores.”, explica Lucas Personi. A empresa atua de forma diferente no mercado, avaliando a marca e a possibilidade de registro. Caso ele seja inviável, há todo um trabalho para que o empresário escolha outro nome. Se não for do interesse dele, o negócio não é fechado. 

“Não fechamos nenhum negócio que não tenha a possibilidade de conseguir o registro. Há muitos escritórios que aceitam o cliente mas que não entregam o resultado: que é a marca registrada.”, conclui Lucas Personi. 

A empresa propõe entregar o registro em 10 meses para qualquer empresa que não possuir indeferimento ou oposição. O serviço é consultivo e tem o propósito de proteger a empresa, além de levar à ela uma vantagem competitiva no mercado com o registro, atuando como força de negócio. 

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *